Cabaça elemento orgânico da natureza!


Cabaça, instrumento musical, de alimento a reservatório de utensilio de cozinha a cachimbo e mandingaria.

Em África além da sua polivalência, o legume representa um importante patrimônio cultural. Desde sempre preserva e uni as culturas do continente.

Minha vó Dona Ester de Conceição do Mato Dentro, não foi escritora, mas, escreveu uma linda e forte historia. Ela tinha as suas cabaças como: cuia de catar feijão, gamela de lavar arroz e claro uma pequenina com sua aguardente da boa. Há varias África’S nas Minas Gerais e não somente um Guimarães Rosa.

Dona Ester me apresentou “as meninas”, eu não resisti e por elas me gamei. Essas “meninas” são as caixas de ressonância que meu arco primitivo musicaliza pelos os cantos do mundo.

Nesse processo de plantio, de manuseio com a terra e outros elementos, posso sentir a sonoridade que gera ali, sinto a reverberação, a duração da nota e o timbre que estar por vir.

Como eu estivesse plantando música, ritmos e melodias, as cabaças em toda sua gestação tem me trazido sensações, sons e ruídos que vem da terra.

Terra é África, a mãe primordial, as frequências baixas, sutis e encorpadas como um baobá, um jatobá do cerrado mineiro.

Noite de lua nova, noite de lua cheia, três grãos na cova, esperei colheita, ventre da terra broto capoeira.

Mestre Negoativo


Cabaça, the gourd, a musical instrument, uses range from as food sustenance, a drinking reservoir, as a kitchen utensil, to pipes and magical rituals.

In Africa, in addition to its versatility, the vegetable represents an important cultural heritage. It has always preserved and united the cultures of the continent.

My grandmother, Dona Ester de Conceição do Mato Dentro, was not a writer, but she wrote a beautiful and strong story. She had her gourds as: a gourd to pick beans, a bowl to wash rice and of course a little one for her brandy. There are several strong African ethnicities in Minas Gerais and not just the famous writer Guimarães Rosa.

Dona Ester introduced me to the cabaças, I couldn't resist them and I was infatuated. They are the sound boards that my primitive bow musicalizes around the world.

In this process of planting, working with the earth and other elements of nature, I can feel the sound that it generates there, I feel the reverberation, the duration of the note and the timbre that is to come.

It is as if I am planting music, rhythms,

and melodies, the gourds throughout their gestation have brought me sensations, sounds and noises that come from the earth.

The earth is Africa, the primordial mother, with deep frequencies, subtle and full-bodied like a baobab tree or a jatobá tree from the vegetation of Minas Gerais.

The night of the new moon, night of the full moon, three seeds in the ground, I waited for harvest, the belly of the earth sprouts capoeira.

Mestre Negoativo


Imagem/Picture @ronilsonrsilva

15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo